Linfoma em Cães – Uma grave doença que pode ser tratada! Saiba aqui!

Linfoma em Cães é o tipo mais comum de câncer. Ele atinge os linfócitos e representam  um total de até 20% dos tumores malignos em cães.

O Linfoma em Cães pode ocorrer nos gânglios linfáticos, baço, fígado e outros órgãos diversos.

Ele pode ser bem agressivo e se não for tratado e pode matar seu pet. A boa notícia é que a quimioterapia tem sido eficaz no tratamento do Linfoma em Cães, prolongando a vida do cachorro em meses e às vezes até mesmo em anos.




O Linfoma em Cães é um câncer com origem nos linfócitos, não devendo ser confundido com leucemia.

Ainda não se sabe ao certo porque o Linfoma em Cães acontece. Sabe-se que algumas raças têm mais predisposição para desenvolverem o Linfoma em Cães e que a doença ataca mais frequência os cães mais velhos.

Continue aqui na Página do Pet e saiba mais sobre o Linfoma em Cães, seus principais sintomas e formas de tratamento.




É muito importante estar atento à saúde do seu cãozinho e a qualquer sintoma procurar um médico veterinário de sua confiança.

Linfoma em Cães – Fique atento aos sintomas!

Linfoma em Cães: fique atento aos sintomas!
Linfoma em Cães: fique atento aos sintomas!

O Que é Linfoma em Cães ?

O Linfoma em Cães é um tipo de câncer que atinge o sistema linfático. Este sistema é composto por vasos e linfonodos, também chamados de gânglios.




Os gânglios são responsáveis por produzir linfócitos, que são as células que fazem a defesa do organismo.

O Linfoma em Cães ocorre inicialmente no linfócito, que circula nos vasos sanguíneos e em um vaso chamado de linfático.

No sistema linfático não circula o sangue e sim a linfa.  Os linfonodos também abrigam linfócitos e, quando eles sofrem alguma agressão aumentam de tamanho, tornado-se inchados.

Esses inchaços são respostas naturais do corpo a um aumento de trabalho das células de defesa e o normal é que ele desapareça após um tempo.

Quando acontece o Linfoma em Cães, os linfonodos permanecem aumentados.

Apenas 10% a 20 % dos cães estão clinicamente doentes quando são diagnosticados. A  maioria é levada ao médico veterinário por causa de inchaços ou protuberâncias recentemente identificados.

Quais Raças Podem ter Linfoma em Cães ?

O Linfoma em Cães afeta em especial os pets mais velhos, atingindo igualmente machos e fêmeas.




Porém, quando se fala em raças, algumas têm mais propensão a desenvolver o Linfoma em Cães. Veja quais são:

Por Que Cães Desenvolvem Linfoma ?

Embora a ciência compreenda a forma que o Linfoma em Cães aconteça, ainda não se sabe porquê.




Alguns médicos veterinários sugerem que certas características que deixariam o cão pré-disposto ao desenvolvimento de linfomas, mas que não seriam determinantes para a doença.

Entre estas características para o desenvolvimento do Linfoma em Cães, encontra-se a baixa imunidade decorrente de outros quadros clínicos.

Pode-se citar também a genética, porém, mais estudos precisam ser realizados para determinar os fatores de risco exatos envolvidos no Linfoma em Cães.

Sintomas da Linfoma em Cães

Os sintomas do Linfoma em Cães dependem do local onde está o tumor.




Quando o tumor está nos linfócitos, estes aumentam de tamanho, sem causar outros sintomas.

Quando se desenvolve nos intestinos, os sintomas mais comuns são vômitos, diarreias, perda de peso e falta de apetite.

Quando o Linfoma está na pele, pode se manifestar de várias formas diferentes, incluindo nódulos simples ou múltiplos na pele ou na boca.

Estas regiões podem coçar ou ficar vermelhas e até formar úlceras. O Linfoma em Cães também pode ocorrer no coração, olhos e no sistema nervoso central.

Diagnostico da Linfoma em Cães

O diagnóstico do Linfoma em Cães ocorre através de uma combinação de testes como exames de sangue, amostragem do tumor, biópsias, radiografias e ultrassom.




Os testes exatos a serem realizados para diagnosticar o Linfoma em Cães dependerá da localização do tumor.

O Linfoma em Cães geralmente não causa dor se não houver comprometimento ósseo.

Em 15% dos cães com linfoma, o nível de cálcio no sangue vai ser elevado.

Como Prevenir a Linfoma em Cães

Infelizmente não há como prevenir o Linfoma em Cães de aparecer.




A medica mais segura é a realização de exames de rotina para identificar alguma alteração, em especial nas raças de cães com mais predisposição a desenvolverem a doença.

Tratamento para Linfoma em Cães

O tratamento para o Linfoma em Cães é a quimioterapia, já que é uma doença sistêmica, o que torna a cirurgia e radiação impraticável e ineficaz.

Existe uma grande variedade de protocolos de quimioterapia e drogas que podem ser utilizadas para tratar o Linfoma em Cães.




Geralmente, para o tratamento do Linfoma em Cães  faz-se uma combinação de drogas orais e injetáveis dadas numa base semanal. O protocolo de tratamento exato irá variar dependendo do médico veterinário.

A Organização Mundial da Saúde desenvolveu um sistema para classificar o Linfoma em Cães. A depender do estágio, se determinará a forma de tratamento.

As fases da doença são as seguintes:

  • Fase I: aparecimento de um nódulo linfático único
  • Fase II: aparecimento de vários nódulos linfáticos em uma única região
  • Fase III: aparecimento de vários nódulos linfáticos em várias regiões
  • Fase IV: aparecimento de nódulos no Fígado e / ou baço ( pode ou não pode ter envolvimento de gânglios linfáticos )
  • Fase V: aparecimento na medula óssea ou no sangue e / ou outros órgãos além do fígado, baço e gânglios linfáticos.

Cães são ainda classificados como “pré-estágio A” se eles não mostram sinais de Linfoma em Cães e “pré-estágio B” se os sinais já estão visíveis.

Remédio para Linfoma em Cães

Algumas drogas utilizadas incluem ciclofosfamida, vincristina, doxorrubicina e prednisona. O protocolo de tratamento exato irá variar dependendo do veterinário.




Geralmente, para o tratamento do Linfoma em Cães  faz-se uma combinação de drogas orais e injetáveis dadas numa base semanal. O protocolo de tratamento deve ser discutido com um médico veterinário de sua confiança.