Bloodhound – Independente, gentil, tranquilo e ótima companhia !

O Bloodhound é uma raça de cães perdigueira bem antiga, datando da Idade Média, também conhecidos como Cão de São Humberto.

Muito ligado a seus donos, o Bloodhound é um cão carinhoso, afetivo, paciente com crianças e bem brincalhão.

Seus antepassados deixaram neles a necessidade de estar sempre farejando e procurando.





Por outro lado, ele também vai adorar uma tarde de preguiça deitado na varanda.

De cães farejadores de ladrões no passado, hoje, além de cão de companhia, eles trabalham em departamentos de polícia, de busca e organizações de resgate.

A raça ainda é reconhecida por sua teimosia e dificuldade em aprender comandos simples de obediência.





Com a família, o Bloodhound será um cão de companhia, sempre disposto a agradar.

Continue aqui na Página do Pet e saiba tudo sobre o Bloodhound e veja lindas fotos.

Bloodhound – Um doce companheiro

Este é o Bloodhound

Origem da Raça Bloodhound

O Bloodhound é um raça de cães bem antiga. Seus antepassados perdigueiros foram transformados e melhorados pelos monges da abadia de Santo Humberto.





Um outo nome para o Bloodhound, inclusive, é Cão de São Humberto. O nome Bloodhounds surgiu quando a raça foi introduzida na Inglaterra.

Os ingleses reivindicam sua paternidade, mas a raça é reconhecida como belga.

Como aconteceu com muitas raças de cães, as guerras e revoluções quase o dizimaram.




Durante a Revolução Francesa, os aristocratas fugiram e as caças praticamente deixaram de existir.

Porém, a Inglaterra ainda gostava do Bloodhound, tanto por sua habilidade de caçador quanto de rastreador, em especial de ladrões.

É possível encontrar registros do Bloodhound como rastreador de ladrões ainda em 1805.

A sociedade na época ainda em desenvolvimento também começou a apreciar a exposição e cães.





Os Bloodhounds eram expostos como cães companheiros.

Enquanto isto, na América Colonial o Bloodhound encontrava seu espaço e era utilizado para rastear saqueadores indígenas.

Um livro publicado antes da guerra civil, Uncle Tom’s Cabim, descrevia a raça como “bestas cruéis”, da escritora Harriet Beecher Stowe’s.

O interesse pela raça diminuiu até que em 1888, três cães Bloodhounds competiram no Westminster Kennel Club Show.

Os americanos ricos se interessaram por eles e começou a reproduzi-los novamente.

Características do Bloodhound

A cabeça do Bloodhound é a parte mais marcante de suas características físicas: o crânio é alto, pontudo e muito desenvolvido.





A pele do Bloodhounds se solta e pende em dobrinhas, dando a ele um ar melancólico e pensativo, com os lábios caídos.

Os olhos do Bloodhounds são castanho-avelã, as orelhas muito compridas, são estreitas, moles e caindo para frente.

Seu corpo é robusto, maciço, forte, com quadris sólidos e coxas muito robustas.





Sua forma de andar é também característica da raça: lenta e imponente.

A pelagem do Bloodhounds é curta, densa, dura e bem resistente. Os padrões podem ser 3: bicolor preto e fogo, fígado e fogo e o unicolor vermelho.

Aparência do Bloodhound

Olha que fofura este Bloodhound dormindo!
O Bloodhound é um cão de aparência inconfunfível





Hora de morrer de amores com filhotinhos de Bloodhound

O grande porte e as bochechas caídas são marca registrada do Bloodhound

Comportamento do Bloodhound

O Bloodhound é um cão calmo em casa, mas em uma trilha é um grande rastreador.





Forte, obstinado, independente, gentil, tranquilo e extremamente confiável para conviver com crianças: este é o Bloodhound.

Um cão cheio de qualidades muito ativo e brincalhão, mas não tão fácil de adestrar para comandos tradicionais como a obediência.

Agora, quando o assunto é ensinar a seguir rastros, o Bloodhound é o melhor de todos.

A raça é muita carinhosa, pacífica, tranquila mesmo com estranhos.





A raça se dá bem com os diversos tipos de famílias, crianças e até outros pets, desde que socializado desde cedo.

Seus antepassados perdigueiros fazem com que até hoje o Bloodhound esteja sempre à procura de algo para farejar.

Você não vai querer um Bloodhound entediado em casa e sem espaço para brincar e farejar.

Ele pode apresentar comportamentos destrutivos e se tornar um grande bagunceiro.

Alimentação

O Bloodhound tem um estômago muito sensível, assim, é fundamental que seja oferecido somente aquilo que está dentro de sua dieta.





A quantidade de ração para todo animal de estimação depende de sua raça, porte, idade e nível de energia gasto.

O Bloodhound precisa de alimentação de qualidade, que atenda suas necessidades nutricionais para manter sua vitalidade.

Escolha uma ração adequada para seu porte. A quantidade da ração pode ser discutida com um médico veterinário ou segundo as orientações do fabricante.

Nunca deixe comida à disposição na vasilha do seu Bloodhound, ele vai acabar comendo mais do que precisa e pode desenvolver a obesidade.

A água deve sempre der trocada, mantendo-se fresca e limpa.

Saúde

O Bloodhound é uma raça de cães que tem certa facilidade em desenvolver problemas gastrointestinais e torções de estômago.





Como outras raças de cães de grande porte, pode apresentar displasia de cotovelo e de quadril.

Outros problemas recorrentes que o Bloodhound pode apresentar são inflamações nos ouvidos e na pele.

Siga sempre corretamente o calendário de vacinação de seu pet e se possível, o leve ao médico veterinário a cada 6 meses.

Assim você terá um animal de estimação sempre saudável e poderá prevenir possíveis problemas de saúde precocemente.

Mantendo uma rotina básica de cuidados e monitorando sua forma física você terá um pet feliz!

Como Cuidar do Bloodhound

Preço

O valor de um filhote de Bloodhound ou de qualquer outro cão de raça depende da qualidade dos pais, avós e bisavós da ninhada, se são campeões nacionais, internacionais etc.




É possível encontrar filhotes deste incrível perdigueiro custando aproximadamente R$ 2.000 a R$ 3.000.

A Página do Pet sempre recomenda a adoção responsável e a aquisição de filhotes de criadores certificados, com pais e avós sem doenças genéticas.

Infelizmente existem criadores que submetem fêmeas a situações degradantes apenas visando o lucro com a venda de filhotes.

Comprar um cão implica em responsabilidade de alimentar, vacinar, levar ao médico veterinário, tratar com amor, carinho e educar.

Antes de decidir comprar um cachorro é importante ainda lembrar que existem muitos animais abandonados nas ruas ou resgatados por ONGs, esperando uma família amorosa.

Adotar é um ato de amor.